terça-feira, 24 de março de 2009

JÁ AGORA...UM ACHEGA: "Eu bem queria"

Olá! Como têm passado? Eu bem, obrigadinha !

Pois é...estamos a falhar com 'posts'...já lá vão uns diazitos desde a última vez !
E venho aqui exactamente por isso !

Então é assim, meus amigos :
Não me tem acontecido nada de especial, ou então simplesmente tenho ignorado tais acontecimentos para não me chatear...porque parvoíce é o que não falta por aí (e sim, estou a contar comigo) .

MAS, estou com um feeling que esta semana 'é gaja' para ser produtiva nesse campo...'just a feeling' .

Pronto, e foi só para isto que aqui vim e também, para saber se estavam bonzinhos e secar essas lágrimas de saudades !


See ya

Manolo's kisses

segunda-feira, 9 de março de 2009

Teoria #22 "A velha e boa caixinha morreu..."

O que vos trago desta vez é uma história triste, a meu ver.
Vou vos falar sobre os ovos “Kinder”. Todos vocês já os comeram ou ainda comem. São saborosos mas ainda assim nunca satisfazem na totalidade, a não ser que sejam 6 de uma vez…assim talvez.

Quando era criança não comia ovos “Kinder” por causa de ser de chocolate ou por ser gulosa, não, comia-os pelo brinde.
“No meu tempo” os brindes eram muito engraçados, eram pecinhas que davam luta a montar porque, na minha cabecinha, todas as peças se podiam unir umas às outras portanto, muitas vezes, em vez de um carro (objectivo) conseguia um pássaro (eu achava estranho o facto de se parecer com um pássaro mas mais estranho era ter só uma asa) e, depois, lá voltava eu ao meu entretenimento inicial até conseguir montar o carro. Era uma forma de me expressar.
Enfim, os brindes ainda existem…
Mas, A EMBALAGEM! O que é que fizeram àquela embalagem cor-de-laranja que tinha duas bases?! Aquela que, se nós fizéssemos alguma pressão em ambos os lados de uma das extremidades, a outra extremidade saltava em direcção à testa do irmão/irmã?!
Já não existe.
(ASSASSINOS!)
Ela foi substituída…tantas alegrias me deu. A forma singela com que eu era olhada por ela assim que a apertava, a alegria que expressava, ela e eu, ao saltar a tampa…momentos de pura loucura que nunca nada, nem ninguém conseguirá substituir. Ainda me lembro daquela vez em que…esqueçam!
Agora existe isto:
video
É assim que se acaba com uma vida cheia de “tampinhas” aos saltos a baterem na testa do irmão. É desta forma que QUASE acabam com a mítica frase das queixinhas “Oh mãe…olha para ela...”.
Agora acabem com a protecção das palhinhas (em papel ou em plástico). Aquela que se corta/rasga uma das pontas e se sopra através da palhinha de maneira a que a protecção vá furar a testa de alguém ou, simplesmente, se comece um jogo de voos com os amigos. É uma atitude digna de se fazer em estabelecimentos com muita gente.
Acabem com isto e depois vejam se não é o fim do mundo.

(Peço desculpa pela qualidade do vídeo mas não havia meios para melhor. Que fique pelo menos a mensagem.)

Manolos kisses

quinta-feira, 5 de março de 2009

Teoria #21 "Há sorteios e sorteios..."

Sábado de manhã, às 10h da manha. Um telefonema.
Oiço o meu telemóvel na esperança de estar a sonhar. Atendo.

“-Sim?!” – com o tom de voz um tanto ou quanto rouco.
“-Estou a falar com a Dona…?! – perguntam.
“-Está sim!” – assumo.
“-Estou a ligar por causa de um sorteio para o qual foi seleccionada. Lembra-se de ter participado nalgum sorteio?!” – pergunta alguém.
“-Sorteio?! Não, não me recordo de nada.” – Disse (de olhos bem fechados e a muito custo).
“-De certeza?! Tenho a informação de ontem ter dado os seus dados para um sorteio a ser realizado por uma empresa de limpezas. Você foi sorteada e tem três prémios à sua disposição: uma limpeza a uma carpete, limpeza a um sofá e limpeza a um colchão. Qual vai usufruir?!” – sugere.
(Acordo depois de 10 segundos “apagada”, olho para o telemóvel e verifico que não, não era um sonho. Estava mesmo a falar com uma pessoa que me oferecia uma série de limpezas.)
“-Ahn?! Então tenho que escolher um desses prémios?!” – pergunto meia atordoada.
“-Sim…tem!” – diz ela depois de repetir novamente os “prémios”.
“-Então e não posso recusar?!” – pergunto de rompante.
“-Ah…sabe que no fim desta limpeza o seu nome fica registado para o sorteio de um plasma!!!” – alicia ela.
“-Eu sei lá o que é que hei-de pedir para limpar. Olhe se poder ligar outro dia, ligue, se não, esqueça o prémio. OK?!” – barafusto eu.
“-Então fico de lhe ligar outro dia. Fica assim Dona…! Bom dia e desculpe o incomodo.” – Despede-se.
“-Bom dia!”. - «tututu»

Chave do dilema: “Sábado de manhã, 10h da manha”. Escusado será dizer que a um sábado de manhã não se telefona porque estou a TENTAR dormir e, MUITO MENOS, com coisas estúpidas que à partida já estou a recusar. Estamos entendidos?!
O que comentar acerca de: “Você foi sorteada e tem três prémios à sua disposição: uma limpeza a uma carpete, limpeza a um sofá e limpeza a um colchão.”?! Epá…não querendo ser ingrata mas já sendo, não há nada melhor?! Não?! Ok ok…

“Wavaram-me” um tapete, aspiraram-me o tecto (às vezes dá-me para caminhar pelo tecto) e aspiraram metade de um sofá (as pessoas cá em casa só usam meio sofá).
O que é que “ewes” estavam “reawmente” a fazer?! Uma demonstração “daquewas” para vender “daquewes” aspiradores que já têm escovas de dentes incorporadas.
Prémio?! Nunca o vi.
Mas o “pwasma” não me escapa.

(O tipo da demonstração era belfo. – Trocar “W” por “L”)

Manolos kisses